2º Workshop Aprosmat debateu problemas e soluções para o manejo do percevejo da soja

 

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) realizou no dia 09 de julho, o 2º Workshop Aprosmat com tema “Percevejo da Soja e Qualidade de Sementes”. O evento contou com a participação de produtores de sementes, engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas que trabalham exclusivamente em produção de sementes e ocorreu  durante toda última terça-feira(09/07)no auditório da Aprosmat.

O vice-presidente da Aprosmat Jefferson Aroni destaca que o 2º Workshop Aprosmat abordou,  um tema que vem preocupando o produtor e vem causando bastante danos a cultura da soja. “O objetivo do evento foi discutir sobre as tecnologias que existem atualmente para o controle de percevejo, no caso produtos, o manejo integrado de pragas, com a discussão de como se fazer o melhor manejo, trazendo o que esta sendo feito nas fazendas e também o que tem de novidade nas pesquisas sobre o assunto e de posse destas informações que possamos ter uma maior eficiência no controle do percevejo na lavoura”, comentou.

A professora doutora Jurema Rattes da universidade de Rio Verde/GO, alertou para a importância de se antecipar as ações antes que o percevejo se instale na lavoura. “Colocamos aos presentes a importância de se controlar esse inseto antes que ele cause prejuízo, então nós mostramos as fases da soja onde ele tem preferencia de chegada e consequentemente o dano que eles causam em cada uma destas fases, e o que o produtor necessita observar no seu dia a dia, para que ele perceba que este inseto estra colonizando e que está causando dano na sua semente e na sua produção”, explicou.

Na 2ª edição do Workshop Aprosmat, a Fundação MT contribuiu com a participação da pesquisadora Lúcia Vivan, que apresentou alguns dados de pesquisas realizadas pela instituição. “Nós demostramos resultados do projeto de três anos de pesquisas com o apoio do Fase, onde verificamos o nível de dano para percevejo na soja para área de sementes, a parte de controle destes insetos e também desenvolvemos trabalhos com feromônio para monitoramento do percevejo marrom, que é uma ferramenta a mais para o manejo deste inseto”, disse.

Para exemplificar melhor os danos causados nas lavouras, o gerente técnico da Polato Sementes fez um relato do que ocorre nas áreas cultivadas do grupo que sofrem coma ação do percevejo da soja. “Nosso objetivo foi expor os problemas que temos na agricultura com o percevejo da soja e que essa soja é destinada a semente, então expomos nossos problemas para que os pesquisadores pudessem trazer informações para trabalharmos com essa praga sobre controle”, falou.

Ainda sobre os problemas causados na lavoura pela infestação do percevejo da soja, o professor Paulo Degrande da universidade federal da grande Dourados explanou, sobre a importância do debate e difusão de informações sobre o que cada região realiza para o manejo da praga. “Apresentamos o estado atual dos estudos científicos objetivando fazer com que os produtores se tornem mais eficientes e mais capazes de controlar o percevejo que é a praga chave da cultura e também discutir as questões relacionadas ao monitoramento de pragas, resistência de plantas ao controle biológico, ao manejo integrado de pragas com um todo incluindo um controle químico e na entressafra e todas as discussões sobre treinamento de profissionais, e logicamente o papel das entidades associativas no desenvolvimento do processo de produção de sementes no estado”, destacou.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *