APROSMAT e parceiros lançam primeira publicação de ECR de Soja em Mato Grosso

 

A Associação de Produtores de Semente de Mato Grosso (APROSMAT), em parceria Fundação Pró-Sementes e o Serviço Nacional Aprendizagem Rural (SENAR-MT) realizou de forma virtual nesta segunda-feira (02), o lançamento e a apresentação à imprensa dos resultados da primeira publicação de Ensaios de Cultivares em Rede (ECR®) de soja conduzidos em Mato Grosso.

O presidente da Aprosmat, Gutemberg Carvalho da Silveira, destacou a parceria formada com a Fundação Pró-Sementes juntamente com o Senar-MT e avaliou de forma positiva a condução da pesquisa. “Esse trabalho vai auxiliar muito o setor de grãos norteando na escolha que o produtor poderá fazer das variedades de cultivares, tanto de milho quanto de soja, e assim a APROSMAT não poderia ficar de fora de um projeto de tamanha relevância para o Agro”, disse.

O diretor da APROSMAT, Nelson Croda, ressaltou a importância estratégica que o ECR de Soja em Mato Grosso para o produtor, que além de poder analisar com dados técnicos e científicos as 40 cultivares, Croda enfatiza que a publicação não poderia ser mais atual. “Hoje temos muitas cultivares e tecnologias novas e recém-lançadas no mercado, com isso nem o próprio sementeiro conhece estes lançamentos a fundo direito. Então a APROSMAT junto com os parceiros levou esta pesquisa a campo e assim extraindo destas cultivares o melhor de seu potencial, através de uma recomendação perfeita tanto de stande, como época de plantio e a melhor cultivar para determinada região”, explicou.

A apresentação dos números de desempenho de 40 cultivares de soja, obtidos em duas épocas diferentes, em cinco municípios de Mato Grosso, ficou a cargo da gerente de Pesquisa da Fundação Pró-Sementes, Kassiana Kehl, que também coordenou os Ensaios em solo mato-grossense. “O Mato Grosso tem muitas particularidades, pois é um estado enorme. Então é um grande desafio para nós como profissional e representante da área de pesquisa da Pró-Sementes estar podendo participar deste pontapé inicial e é uma enorme satisfação. É uma publicação onde nós temos a oportunidade de verificar o comportamento deste grupo de cultivares, com variação de local e de tempo, o que garante informações bem valiosas ao sojicultor, onde ele vai poder buscar não só a questão de produtividade, mas também de ciclo, de comportamento de materiais em relação à mancha alvo, reação ao acamamento, altura de planta e peso de mil sementes”, destacou.

A primeira edição de Ensaios de Cultivares em Rede (ECR®) de soja conduzidos em Mato Grosso, poderá ser adquirida de forma gratuita na versão impressa nos Sindicatos Rurais do estado, ou na versão digital nos sites da APROSMAT, Fundação Pró-Sementes e Senar-MT, também sem custo nenhum para o produtor rural.

APROSMAT realiza capacitação para amostradores de sementes

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (APROSMAT), em continuidade do processo de sempre levar a melhor capacitação e o que há de mais atual no setor sementeiro para os associados e seus colaboradores, por dois dias (28-29/04) promoveu um curso de amostrador de sementes, em sua sede em Rondonópolis. O curso foi ministrado pela professora Doutora em fitotecnia Maria Laene Moreira de Carvalho e o professor Doutor em sementes João Almir de Oliveira.

Um dos participantes do curso foi Antônio Delton, que atua como supervisor de armazém na Sementes Jotabasso, e avaliou de forma positiva todo conteúdo proposto nos dois dias. “Este tipo de treinamento eleva nosso conhecimento na amostragem de sementes, para assim contribuirmos no processo de entregar o melhor produto possível ao cliente”, destacou.

O curso contou com a representatividade feminina no grupo de participantes com diversas mulheres, a futura encarregada de sementeira da Sementes Bom Futuro Tereza Cristina Souza Ras foi uma delas, e se mostrou muito empolgada com o conhecimento adquirido durante a qualificação. “Para nós que estamos no ramo de sementes na parte de produção, o que mais visamos é a qualidade da mesma, e ela (qualidade) só é expressada por uma amostragem correta de um lote. Então, o princípio básico para nós profissionais que estamos em busca da real representatividade do lote é a correta amostragem, pois se não temos este princípio, também não teremos um resultado coerente deste lote de sementes em questão”, explicou.

A primeira parte do curso foi ministrada pela professora Maria Laene, explica que o curso é uma exigência do Ministério da Agricultura para que uma pessoa esteja qualificada para exercer a função de amostrador de sementes, segundo ela, a edição atual é sexta realizada na APROSMAT. “A amostragem é um assunto complexo e com muitas regras para que o processo seja perfeito, e que possamos representar o lote, e por isso, o Ministério da Agricultura exige que o amostrador tenha o Registro Nacional de Sementes e Mudas (RENASEM), e para isso, ele tem que comprovar que sabe retirar uma amostra, e o curso originalmente foi idealizado para isso, onde a amostragem seja representativa do lote de sementes, para saber se ele está germinando, se é um lote puro ou mesmo se é da cultivar em questão que o produtor deseja comprar ”, comentou. 

Após a teoria, os participantes do curso seguiram para a exemplificação efetivas dos métodos, com o professor João Almir de Oliveira, que abordou obtenção de amostras, intensidade de amostragem, metodologia para amostragem de sementes em recipientes, amostragem manual, processos de amostragem à mão, amostragem com instrumentos manuais, amostragem no fluxo ou durante o beneficiamento, entre outros métodos “Ensinamos na prática o uso de equipamento da forma adequada. Como manuseio e qual amostrador é mais adequado para cada tipo de armazenagem da semente”. 

 

APROSMAT e FASE MT participam de mais uma edição do Circuito Acrimat em Ação

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (APROSMAT) e o Fundo Mato-grossense de Apoio à Cultura da Semente (FASE MT) participaram do Circuito Acrimat em Ação, que chegou em sua décima edição. Com o objetivo de apresentar o cenário atual da bovinocultura de corte e as alternativas para que os produtores possam aperfeiçoar suas técnicas e aumentar a produtividade.
O presidente da APROSMAT, Gutemberg Carvalho Silveira, que prestigiou o fechamento da última rota na cidade de Juína, destacou que um dos objetivos da participação da Associação é demonstrar o trabalho realizado em prol do agro em 42 anos de existência. “O Acrimat em Ação foi um chamamento feito por sua diretoria há dois anos atrás antes da pandemia, e nós do setor de sementes de forrageiras aceitamos este convite, e para nós foi muito gratificante o projeto rodando o Estado inteiro com estas ações, e podemos destacar que em nenhuma região do país existe algo igual. O evento leva muita informação ao pecuarista, onde ele pode aplicá-las no dia a dia de sua propriedade, e presenciamos os participantes muito interessados nas palestras e com certeza vão utilizar estas ferramentas no campo”, explicou.
Em duas fases, com início em 2020 e finalizando este ano, foram mais de 4,3 mil pecuaristas participantes, em 28 cidades divididas em quatro rotas, consolidando assim como maior programa itinerante da pecuária de corte mato-grossense.
Na atual etapa, um público de 2,9 mil pessoas foi abrangido pelo programa ao longo das quatro rotas, que percorreram 19 municípios. Nas localidades visitadas, o Acrimat em Ação trouxe a palestra “Pecuária de corte de sucesso: um caminho sem volta”, ministradas pelos pesquisadores da agência estatal paulista de tecnologia dos Agronegócios Apta, com sede em Colina (SP), doutores Flávio Dutra de Resende e Gustavo Rezende Siqueira.

 

APROSMAT participa das comemorações dos 49 anos da Embrapa

Embrapa comemora 49 anos e reforça o protagonismo da ciência agropecuária brasileira

 

A APROSMAT participou no último dia 27 de abril da solenidade do 49º aniversário da Embrapa, em Brasília. O evento contou com a presença de autoridades governamentais, parlamentares, lideranças de instituições do agro nacional e parceiros. A APROSMAT foi representada pelo presidente Gutemberg Carvalho Silveira. Na oportunidade também foram apresentados os resultados no Balanço Social da Empresa de 2021, e a   atualização da plataforma Visão do Agro (que traça tendências de futuro para o agro brasileiro), por fim os lançamentos de novas soluções tecnológicas e de assinaturas de novas parcerias estratégicas.

Criada em 26 de abril de 1973, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, tem como objetivo o desenvolvimento de tecnologias, conhecimentos e informações voltadas para a agropecuária brasileira.

Na agricultura familiar, na análise rápida da qualidade da carne ou alertando os produtores quanto ao clima, solo e ciclos de cultivos. Não importa o problema, a resposta, muitas vezes, chega por ela: a Embrapa. Criada em 26 de abril de 1973, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, tem como objetivo o desenvolvimento de tecnologias, conhecimentos e informações voltadas para a agropecuária brasileira.

São quase 3 mil pesquisadores em seus centros de pesquisa distribuídos em quase todos os estados do Brasil. Entre dezenas de indicadores, é a responsável por dobrar a produção de café nos últimos vinte anos.

Nos últimos quarenta anos: aumento de 509% na produção de grãos com elevação de duas vezes na área plantada; sete vezes a produção de leite; 60 vezes a produção de carne de frango; 100% rebanho bovino – com diminuição relativa da área de pastagem;

Durante esses 49 anos, o país passou por uma verdadeira revolução no campo, fruto do trabalho conjunto com instituições estaduais de pesquisa e extensão, universidades e setor produtivo, que apostaram em tecnologias geradas pela pesquisa e ajudaram a mudar o cenário brasileiro com incremento de produção, de produtividade e impulsionando a competitividade, com sustentabilidade.

Fatores que fazem o Brasil ser hoje referência em ciência, tecnologia e inovação, além de ser um dos líderes mundiais na produção de alimentos, com exportações para cerca de 170 países.

Nossa singela homenagem à Embrapa pelos 49 anos de existência. Um agradecimento especial a todos os pesquisadores que contribuíram para alavancar e desenvolver a agropecuária brasileira.

APROSMAT recebe visita técnica de equipe da Petkus Engenharia 

 

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (APROSMAT), recebeu em sua sede em Rondonópolis, no último dia 17 de março, representantes da Petkus Engenharia que é o braço para o Brasil e América Latina da indústria alemã Petkus Technologie GmbH, especializada em equipamentos para beneficiamento de sementes.

Na visita, a equipe da Petkus Engenharia fez um tour pelas instalações da Associação acompanhado do diretor executivo Jefferson Aroni, que apresentou toda a estrutura do laboratório de análise de sementes da associação e demais instalações da APROSMAT.

Edição de março do SAAC conta com palestra de representantes da TMG 

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (APROSMAT), realizou mais uma edição do programa de Sistema Aprosmat de Atendimento ao Cliente (SAAC) no dia 8 de março, e contou com a participação de representantes da TMG e consultores e líderes das equipes de vendas das empresas associadas.

Na palestra, os presentes receberam informações sobre as atualizações das recomendações das cultivares que estão sendo plantadas, e também detalhes das cultivares com status de lançamento da obtentora.

Encontro Mato-grossense de ILP realizado pela Aliança SIPA se torna referência no Centro-Oeste

A APROSMAT participou da quarta edição do Encontro Mato-grossense de Integração Lavoura-Pecuária (ILP), realizada em Rondonópolis (MT) nos dias 8 e 9 de abril, onde foi abordado o tema “Integrando: Lavoura, Pecuária, Gestão e Sustentabilidade”. O encontro, que se consolida como uma referência no Centro-Oeste brasileiro, teve a realização da Aliança SIPA, que promove e difunde o avanço de Sistemas Integrados em escala mundial. A programação de palestras foi dividida em três grandes painéis: ‘Sustentabilidade’, ‘Gestão’ e ‘Intensificação Sustentável’, temas fortemente ligados à proposta de discussão e debates do encontro.

O trabalho da APROSMAT pode ser conhecido pelos visitantes do evento por meio do estande montado exclusivamente para o Encontro Mato-grossense de ILP.

Após uma breve abertura, o ciclo de palestras teve seu inicio dos trabalhos com o Painel Sustentabilidade, com o pesquisador da Embrapa-Gado de corte, Roberto Giolo de Almeida que trouxe a temática: “Carne Carbono Neutro com o Sistema de Integração Lavoura-Pecuária”, onde destacou também as iniciativas do Governo Federal no setor, como o programa de certificação do gado Carne Carbono Neutro. “O Brasil já desenvolveu muitas tecnologias que permitem o produtor produzir mais e com um menor impacto ambiental, deste modo, destaco que o carbono é o indicador mais falado atualmente, então estas tecnologias permitem que o produtor coloque mais carbono em seu sistema, e o reflexo disto é um solo com maior matéria orgânica, e está refletida em uma maior fertilidade do solo”, disse.

Na sequência, a palestra “Sistema Integrado como a via de intensificação sustentável”, foi apresentada pelo professor Doutor Paulo César de Faccio Carvalho (UFRGS), onde explanou sobre panorama global e preocupação da comunidade internacional em relação à produção agrícolas de alimentos, sem a abertura de novas áreas e diminuição dos impactos ambientais “Existem poucos caminhos tecnológicos que possam resolver esta questão, e justamente estamos tratando neste encontro de um deles e de uma rara possibilidade de conciliar isso tudo, que são os Sistemas Integrados de Produção Agropecuária, sistemas mais complexos, com rotações de culturas, pastagens, gado de corte e de leite, e que são comprovadamente sistemas que conseguem produzir mais, com menos área e reduzindo o impacto ambiental por unidade de alimento produzido”, observou o pesquisador.

Para fechar o Painel de Sustentabilidade, uma palestra que trouxe uma indagação, “Mercado de crédito de carbono: O produtor já pode receber?”, com o professor Doutor em Zootecnia William de Souza Filho, da Udesc, onde avaliou que se aproxima a afirmação do mercado de carbono, sem as pressões atuais. “Após este período de tensão, o produtor tem que estar preparado dentro de um banco de opções de gerações de créditos, e  para isso ele terá que conhecer como funciona esse mercado, como ele poderá gerar estes créditos em sua propriedade e como monetizar isso dentro de um ativo, de uma bolsa de valores, ou ainda até em comércio com empresas e várias outras soluções que já existem”, observou.

Após um rápido intervalo, as palestras retornaram com o Painel que enfatizava a Gestão, onde o consultor sênior da empresa INTTEGRA, Antônio Chaker El-Memari Neto, apresentou em destaque a temática “Gestão e métricas para maximizar os resultados em fazendas”. “O ponto chave para uma operação de uma fazenda é reconhecer, que se deve trabalhar para se conquistar um resultado. E esse resultado se desdobra em um planejamento e na execução do mesmo, e que tudo isso é submetido ao perfil de liderança e disciplina para garantir para que as coisas aconteçam dentro desta programação que foi estabelecida”, completou.

Em seguida, um case de sucesso em gestão foi apresentado aos participantes do IV Encontro Mato-grossense de Integração Lavoura-Pecuária, onde o gestor da Fazenda Eldorado, Rafael Pereira Sguissardi contou um pouco da evolução da transição para a gestão profissional na fazenda. “A nossa chegada na fazenda foi com um outro olhar, de uma gestão empresarial e de tecnologia, que era pautada em conhecimento, onde temos atualmente uma equipe de consultores nos atendendo em nossas demandas. Então quando eu via algum técnico entregando algum resultado ou número de produção, nós adotamos aquele dado para que pudéssemos cuidar disso. Mas todo o sucesso na condução do processo de seleção tanto minha, quanto da minha irmã que não fazíamos parte do comando da fazenda é de meu pai, que aliou muito amor e a vontade de fazer a diferença”, disse.

A terceira parte do dia de palestras apresentou o Painel de Intensificação Sustentável, e abrindo a tarde com muita informação e debates, a professora doutora Tangriani Simioni Assmann, titular da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, que versou sobre a “Adubação em sistemas integrados: princípios e sequestro de carbono”, onde contrapôs o estigma que se convencionou a produção animal brasileira de se uma produtora de gases de efeito estufa. “Existe um outro enfoque, que essa mesma produção que é classificada como geradora de gases de efeito estufa, ela é maior sequestradora de gás carbônico, ou seja, ela sequestra o gás carbônico via produção agropecuária e incorpora esse carbono que vem da fotossíntese no solo. Então o potencial que se tem de produção é elevadíssimo, deste modo nós temos a sustentabilidade econômica, e também a sustentabilidade ecológica, porque neste caso além de aumentar a lucratividade de minha propriedade, nós também estamos aumentando ecologicamente a qualidade do solo, fazendo um processo de conservação de solo e de água, a redução de gases de efeito estufa, e por fim é sustentável socialmente por conta da geração de renda e empregos”, avaliou.

Sobre o “Manejo de Lavouras em Sistemas Integrados de Produção Agropecuária”, o professor Doutor Leandro Pereira da Universidade Federal de Rondonópolis, destacou a pesquisa realizada no município de Rondonópolis pelo Grupo de Pesquisa e Inovação em Sistemas Puros e Integrados de Produção Agropecuária (GPISI), que é vinculado a UFR e que trabalha em parceria com a Aliança SIPA e várias universidades do País. “Nós temos protocolos que a ideia é de condução de longo prazo, inclusive nós temos experimento de longo prazo local, onde coletamos informações de solo, de planta e de animal, para tentar dentro do contexto de Sistemas Integrados obter informações que nós possamos justificar estes aumentos de produtividade. E cada vez mais aliar a tecnologia que o SIPA oferece, mas que por meio destes ensaios nós temos balizados e delineado as estratégias a serem utilizadas aqui no Estado de Mato Grosso”, destacou.

E para fechar o ciclo de palestras, o professor Doutor Edicarlos Damascena da Universidade Federal de Rondonópolis, abordou o tópico “Manejo do pastoreio para alta produção animal em Sistemas Integrados”, onde falou sobre os desafios da pecuária moderna e confrontou os manejos de pastoreio rotativo clássico versus rotatínuo. “O rotatínuo é uma filosofia de manejo do pastoreio que ele leva em consideração o comportamento ingestivo do animal, ou seja, nós oportunizamos que o animal quando ele abaixar a cabeça consiga captar o máximo de alimento por unidade de tempo, onde não haja perca de tempo e tenha condições de captar o alimento e reverter isso em produção, seja em carne ou leite. A ideia do sistema é, oportunizando a esse animal um alimento de melhor qualidade e que ele gere um maior ganho de peso, e a consequência disso é uma maior lucratividade para a propriedade”, finalizou

 DIA DE CAMPO – No sábado (09), os participantes do Encontro Mato-grossense de Integração Lavoura-Pecuária, se deslocaram até o dia de campo na Fazenda Guarita, nas margens da BR 163. A programação contou com a apresentação de resultados de pesquisas na área experimental da Fazenda Guarita, com protocolos de Sistemas Integrados ambientados para a realidade mato-grossense com foco em Adubação de Sistemas, e finalizando com um espaço para debate e perguntas dos presentes.

O responsável pela organização do evento, o professor Edicarlos Damacena de Souza, integrante também do corpo técnico da Aliança SIPA, avaliou os dois dias do Encontro. “Para nós foi muito gratificante, pois foram momentos muito proveitosos, com a presença de muitos produtores, técnicos e estudantes, onde pudemos discutir temas que estão sendo altamente debatidos, como a sustentabilidade, a gestão e os Sistemas Integrados. Então o balanço com o feedback das pessoas, com o volume de perguntas qualificadas e de interação é muito positivo, e nos motivam a dar continuidade nisso para os próximos anos”, destacou.

A edição 2022 do Encontro Mato-grossense de Integração Lavoura-Pecuária, recebeu caravanas e grupos de diversos estados, como do Piauí, Mato Grosso do Sul, Goiás, além das cidades de Tangará da Serra, Cuiabá e do norte de Mato Grosso.

APROSMAT realiza curso de treinamento para Analistas de Sementes de Forrageiras  

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso, (APROSMAT) realizou mais uma capacitação para responsáveis técnicos e de laboratórios que fazem parte das empresas associadas e também para a comunidade em geral, com um curso teórico-prático para Analistas de Sementes de Forrageiras, que ocorreu nas dependências da sede da Associação em Rondonópolis e também em Tangará da Serra.

O presidente da APROSMAT Gutemberg Silveira, explicou que o curso tem o objetivo de treinar os profissionais deste setor que compõe Associação, e subsidiado por recursos do Fundo Mato-grossense de Apoio à Cultura da Sementes (FASE-MT). “A área de forrageiras dentro da APROSMAT conta com um comitê que desenvolve as atividades sob demanda e também com a avaliação deste comitê, e assim são promovidas capacitações técnicas e também de legislação que é muito importante, como a nova instrução normativa”, destacou.

O curso foi ministrado pela engenheira agrônoma Sandra Dias Ferreira e detalhou o papel do analista de forrageira no processo de produção de sementes, sendo responsável pela validação da semente que entra em uma empresa e que emite um boletim atestando o controle de qualidade e também de comercialização. “O curso visa capacitar os analistas e engenheiros agrônomos para saber interpretar a regra de analise, assim fazendo as análises de pureza, germinação, identificação de outras espécies, o teste de tetrazólio e o de vigor”, disse.

Turma do curso em Tangará da Serra

Um dos participantes da capacitação foi o gerente de produção e beneficiamento da Araguaya Sementes Igueney Francisco, que relatou ter aproveitado os três dias de curso, com muito aprendizado e informações. “Foi muito importante este treinamento que tivemos, por que pudemos passar por todas as etapas de analise com a parte teórica e na pratica, pois muitas vezes nós que trabalhamos dentro de uma UBS não tínhamos noção de como funcionavam os procedimentos dentro do laboratório, e assim foi um aprendizado de grande valor para a gente”, falou.

Para a analista de controle de produção da Boa Forma Sementes Raylane Silva da Cruz, a oportunidade de obter mais conhecimento em sua área será de fundamental importância para o desenvolvimento de suas rotinas na empresa. “Foi uma experiencia incrível, com bastante conhecimento onde pudemos atualizar nossas práticas e conhecer novas tendencias que estão sendo colocadas no mercado. E para mim foi bastante proveitoso, pois tirei muitas dúvidase obtive muito conhecimento”, finalizou.

Abertura do curso em Rondonópolis

APROSMAT recebe time de líderes de segmentos da provedora de tecnologia Corteva Agriscience

 

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (APROSMAT) recebeu na segunda-feira (04), em sua sede em Rondonópolis, um grupo de líderes de segmentos da Corteva Agriscience e Sistema Enlist, onde juntamente com diretores e associados realizaram uma roda de conversa sobre o desempenho da tecnologia disponibilizada pela empresa e o atual cenário interno e externo do setor sementeiro.

O presidente da APROSMAT, Gutemberg Silveira destaca que a Associação sempre está à disposição para realizar este tipo de encontro, onde pode-se receber o que há de mais atual em tecnologia e também trocar experiências com profissionais de setores estratégicos destas grandes multinacionais do setor sementeiro. “A APROSMAT está sempre aberta a conhecer novas tecnologias e inovações, hoje recebemos o time da Corteva para uma conversa, receber atualizações e saber um pouco como anda o mercado das tecnologias. E é sempre bom estar próximo destas informações, onde podemos repassar aos nossos associados sendo um dia muito produtivo e encerramos com uma satisfação muito grande”, disse.

Com a dinâmica acelerada da evolução do setor sementes mundialmente, o feedback com um grupo de profissionais estratégicos que estão nesta linha de frente é fundamental, explica o vice-presidente da APROSMAT, Luiz Américo da Costa. “São reuniões muito embasadas, com trocas de informações e experiências. Onde podemos trazer os aspectos positivos de ambos os lados das entidades e das empresas, e principalmente nos atualizarmos com trocas de informações de outras regiões e de outros países, onde passamos por um momento de troca de tecnologia e poder ter acesso a estas informações nos auxilia na velocidade de mudanças de direcionamento que podemos ter em nossas empresas”, destacou.

Inicialmente, os representantes da Corteva realizaram uma pequena apresentação da estrutura corporativa da empresa no Brasil, o líder de tratamento de sementes Enlist e da marca Cordius, Cristian Plfuge destacou a oportunidade de dialogar e trocar experiências com o setor de sementes de um estado tão importante para o Agro. “A APROSMAT representa os grandes produtores de sementes de Mato Grosso, e nós acreditamos que é muito importante nós apresentarmos para os multiplicadores as tecnologias de tratamento de sementes que temos a disposição, principalmente na área do Enlist na nova plataforma da Corteva que visa uma nova biotecnologia”, destacou.

Já o líder de Licenciamento da Tecnologia Enlist Brasil/Paraguai, João Braga Barros, agradeceu a diretoria da Aprosmat pela reunião técnica, mas que segundo ele também serviu para estreitar ainda mais a relação da empresa com a entidade. “Normalmente mais para o final da safra nós fazemos este giro com elos da cadeia de sementes de soja, para discutir os acertos e as oportunidades e principalmente onde podemos evoluir, e o que nós provedores de tecnologia podemos contribuir com o elo dos multiplicadores, no sentido de levar os produtos e benefícios para o produtor rural. Então discutimos aqui uma espécie de sumário da safra verão 21/22, como foi a performance da tecnologia Enlist e ouvir os multiplicadores qual a percepção deles sobre esta nova tecnologia”, finalizou.

APROSMAT oferece aos associados o programa Sementes Certifica MT

 

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (APROSMAT) apresentou aos associados o programa Sementes Certifica MT, que tem como principal objetivo assegurar o compromisso do produtor de semente na produção e comercialização, através da adoção de normas e procedimentos unificados, conferindo confiabilidade, credibilidade ao produto e garantia na entrega.

É um programa de livre adesão proposto pela associação. Todo processo de amostragem e análises oficial, terão acompanhamento de empresa certificadora com renome internacional, garantindo transparência e total isenção nos resultados obtidos de todas as sementes disponibilizadas para a comercialização. Os multiplicadores participantes do programa serão chancelados com selo nas embalagens de sementes, onde teremos QR code de ouvidoria da associação.

Confira o vídeo:

 

Sobre o Certifica MT

 

O programa é voluntário e de livre adesão, com os testes previstos serem realizados a partir de julho de cada ano, com a analise oficial por empresa de certificação contratada pelo APROSMAT, seguindo padrão de coleta MAPA.

Contará com o Selo programa para colocar Bag sementes ou sacarias de sementes, além do QR Code da ouvidoria da associação.

As embalagens das sementes serão de número de sementes. (ex. Bag 5 milhões sementes, sacaria de 200.000 sementes)

O outro diferencial do programa é o carregamento, que deverá ser feito pelo vendedor de sementes em até 24h após a conferência dos documentos.