Aprosmat realiza palestra com tema Agronegócio: Cenário 2030

 

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) promoveu nesta quinta-feira (12/12), em sua sede uma palestra para os associados com o engenheiro agrônomo e sócio diretor da empresa Blink, Lars Schobinger, com o tema Agronegócio: Cenário 2030.

 

Na palestra, Lars Schobinger destacou as três frentes que o agricultor tem que ficar atento e se atualizar nas próximas décadas, ele citou a tecnologia, o desafio de manejo e a qualidade de mão de obra. “Em se falando de tecnologia são três vertentes que serão cada vez mais importantes, a questão do germoplasma, a biotecnologia e uma área que vai crescer muito dentro do processo que é a fisiologia vegetal. Em seguida, podemos citar os desafios do manejo, que por um lado vão aumentar muito, por que teremos o problema de resistência que já existe atualmente e teremos a introdução de ervas exógenas vindo de outros países e desta forma o manejo vai ficar muito mais complexo, com a implantação cada vez maior de ferramentas digitais com olhar não só na produtividade, mas também na lucratividade por hectare. E por último, nós termos não só um desafio de quantidade de mão de obra, mas principalmente de qualidade profissional, pois nível de conhecimento e outras competências que deverão ser adicionadas ao profissional no campo que não existem hoje”, explicou.

 

Para o presidente da Aprosmat, Gutemberg Silveira o primordial para o produtor rural é se preparar para as mudanças que estão por vir nos próximos 20 anos e assim conseguir superar todos os desafios que se apresentarem. “O Lars vem realizando este tipo de palestras por todo o Brasil e como a Aprosmat sempre com objetivo de trazer o melhor conteúdo para nossa região, vimos nesta oportunidade um momento para nos preparamos para os desafios, abrimos nossas mentes para que possamos exercitar e a pensar as saídas futuras para o agronegócio”, pontuou.

Aprosmat participa de reunião técnica do Zoneamento Agrícola de Risco Climático

O Consócio Milho-Braquiária de Mato Grosso realizou na última quarta-feira (04/12), na Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), em Cuiabá, uma reunião técnica para a validação do Zoneamento Agrícola de Risco Climático(Zarc), onde contou também com a presença do presidente da Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat), Gutemberg Carvalho Silveira.

O pesquisador da Embrapa Silvipastoril de Sinop, Cornélius Zolin explica que a tecnologia do Zoneamento Agrícola de Risco Climático, visa principalmente reduzir ao máximo as perdas para a safra do agricultor por conta de uma escolha errada de uma janela climática, o que possibilita também maiores possibilidades de acesso às linhas de crédito do governo e ou da rede privada. “A cultura zoneada dentro da janela com menor risco o produtor pode solicitar nas diferentes modalidades de créditos para aquela cultura que esteja zoneada. Em modo geral, o zoneamento orienta o período de plantio mais adequando e com menor risco de perda para o produtor”, disse.

Com mais de duas décadas de desenvolvimento do Zoneamento Agrícola de Risco Climático, a Embrapa intensificou ainda mais os estudos nos últimos cinco anos, sendo que no ano passado foram apresentadas validações em diversas culturas, porém em 2019 é a primeira validação para o sistema milho-braquiária.

Aprosmat promoveu a Sipat 2019

 

A Aprosmat realizou entre os dias 25 e 29 de novembro a Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat). Segundo o diretor administrativo da Aprosmat, Thiago de Vasconcelos a Sipat 2019 foi focada em informar os colaboradores nas áreas de saúde ocupacional, ergonomia, uso de EPIs, palestras motivacionais e voltadas a ética no ambiente de trabalho. Ainda com a realização de dinâmicas e assim proporcionando aos colaboradores momentos de interação com atividades em grupo e gincanas, onde foi possível proporcionar momentos de proximidade e reforçando a importância do trabalho em equipe.

25/11 – palestra EPI e Segurança do Trabalho

26/11 – palestra Redes sociais na Empresa

27/11 – palestra Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST)

28/11 – palestra motivacional

29/11 – massagens com associados da ADVR e primeiros socorros

Aprosmat realiza curso de Amostradores de Sementes em Tangará de Serra

 

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) realizou nos dias 03/12 e 04/12, o sexto Curso de Formação de Amostradores de Sementes, na cidade de Tangara da Serra, no auditório do Sindicato Rural. Curso teve como o objetivo garantir técnicos capacitados a fim de cumprir exigências legais de amostragem de sementes.

A professora Drª Maria Laene Moreira De Carvalho da Universidade Federal de Lavras, que foi uma das integrantes da equipe de instrutores do curso, explicou a função do amostradores de sementes. “Seguindo os princípios básicos da amostragem, que é homogeneidade do lote e amostra representativa, o amostrador vai retirar uma amostra que reflita as características deste lote, isso é fundamental porque todos os testes que realizamos são destrutivos, então temos que nos basear na inferência estatística pois retirando uma amostra tirar conclusões sobre o lote”, comentou.

O representante da Cepdis Agro, Adno César de Souza classificou o curso como de suma importância para aqueles que trabalham diretamente na classificação de sementes. “O curso serve para que os amostradores tenham a qualificação para colher as amostras e em seguida enviar para o laboratório, para saber se o ‘Qr Code’ que consta na etiqueta dentro do projeto semente legal, as suas especificações que contem nas embalagens”, explicou.

Já para o analista de laboratório das Sementes Acampo de Tangará da Serra, Marcos Dias aproveitou para se aprofundar ainda mais no tema. “Acreditamos que este curso vai ajudar bastante, com mais conhecimento e chegando aos resultados esperados pelos clientes”, disse.

Para Clovis Araújo Chaves que trabalha na empresa Amaggi explica que veio em um grupo de mais cinco pessoas do município Sapezal e que o objetivo é aprender. “Nosso intuito é absorver o máximo de informação, para que possamos ser os multiplicadores dentro da unidade que atuam, para se chegarmos em uma padronização na amostragem de sementes tanto de soja, como de algodão” relatou.

Também fizeram parte do corpo de instrutores o professor doutor em Agronomia, João Almir de Oliveira e o professor doutor, Renato Mendes Guimarães ambos da Universidade Federal de Lavras.

Cuiabá recebeu treinamento de responsáveis técnicos em produção de sementes

Com o apoio da Aprosmat a Fundação Pró-Sementes de Apoio à Pesquisa promoveu uma capacitação técnica na produção de sementes, na última quarta-feira (27/11), no auditório da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato). Com a participação de mais de 100 pessoas ligadas ao setor, o curso tem o objetivo aprimorar o conhecimento e consequentemente a qualidade dos serviços prestados aos produtores e usuários de sementes.

No evento foram analisados e discutidos temas atuais e pertinentes relacionado a legislação e a produção de sementes no Centro-Oeste.  O diretor administrativo da Fundação Pró-Sementes, Alexandre Levien destacou a importância deste tipo de treinamento realizado em todo o Brasil. “Nosso objetivo com este evento é capacitar os produtores de sementes e os responsáveis técnicos para a obtenção de sementes de alta qualidade, para se aprovar lotes que a qualidade desejada que é o objetivo final de todo produtor de sementes.  A Fundação trabalha com certificação de sementes, capacitação profissional, licenciamento de cultivares”, disse.

O treinamento teve uma carga horária de oito horas e tem como público alvo profissionais do agro, estudantes e responsáveis técnicos (engenheiros agrônomos e florestais) que atuam na área de produção e comercialização de sementes. O responsável pela coordenação de certificação da Pró-Sementes, Jonas Farias Pinto explicou a dinâmica da capacitação. “Nós falamos sobre as competências do responsável técnico na produção de sementes, envolvendo desde os processos de credenciamento do profissional engenheiro agrônomo junto ao Mapa, como também todos os documentos relativos as inscrições, aos beneficiamentos e até a comercialização das sementes. Pois temos uma legislação bem complexa, onde o RT tem que estar bem atento as responsabilidades a ele pertinentes, desde o recebimento das sementes até a emissão da nota fiscal lá na outra ponta do processo”, explica.

Com a participação expressiva de responsáveis técnicos de todas as regiões do estado, o conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT), Marcelo Capelotto também foi um dos palestrantes do dia focando nos temas “Legislação profissional e ART”. “Destacamos a importância de como a anotação de responsabilidade técnica pode auxiliar o profissional e o contratante, mostramos também alguns modelos de preenchimento de ARTs para produção de sementes e falamos do livro de ordem que é um item obrigatório para a produção de sementes e nada mais é que um histórico do trabalho do profissional dentro deste serviço ou obra que ele está realizando”, concluiu.

O treinamento de responsáveis técnicos em produção de sementes contou com a parceria da Abrasem, Aprosmat, Famato, Imea, Crea/MT e a parceria da Intacta2 Xtend.

Presidente da Aprosmat recebe honraria da Assembleia Legislativa de Mato Grosso

 

O presidente da Aprosmat, Gutemberg Carvalho Silveira foi agraciado com uma Moção de Aplausos concedida pela Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (AL-MT), no último dia 28 de novembro, por incentivar e expandir o comércio de sementes no estado de Mato Grosso, com disciplina, organização e ética.

A honraria foi de iniciativa do deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC), que realizou uma noite de homenagem para referendar pessoas, instituições e empresas que, de uma forma ou de outra, através de seus feitos, contribuíram com o estado de Mato Grosso. Ao todo, foram concedidos 98 moções de aplausos e cinco títulos de cidadão mato-grossense. A sessão solene aconteceu no Plenário Renê Barbour da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, em Cuiabá.

“Esse é um momento muito importante para todos nós, tanto para quem recebe a homenagem como para quem a concede. Chegado ao fim de ano, é o momento que temos para refletir sobre as ações de todo o ano e reconhecer as ações de quem colaborou com o nosso estado”, disse o parlamentar, durante a cerimônia. Dal Molin reconheceu o trabalho de diversas associações, instituições e movimentos que colaboram com o setor produtivo no estado.

Aprosmat promove reunião sobre questões trabalhistas em Campo Verde

 

A Aprosmat promoveu no dia 11 de novembro no auditório da Cooperfibra na cidade de Campo Verde, uma reunião para tratar de discussões trabalhistas e afins. O evento contou com a coordenação da diretora executiva da Aprosmat, Andréia Bernabé e palestra ministrada pela consultora Sirleia Alves.

 

A reunião teve público alvo gestores de RH’s e advogados e assuntos tratados:

  • Definições da Lei Complementar n° 631;
  • Últimas notícias da Portaria n° 157/2019 MDF
  • Novas Adaptações eSocial;
  • Assuntos gerais;

Aprosmat se reúne com associados em Tangara da Serra para discutir sobre o Livro Caixa Digital

A Aprosmat promoveu nesta quinta-feira (31/10), em Tangara da Serra, uma reunião para associados, contadores e advogados com o tema “Livro Caixa Digital”, ministrada pelo contador Marcus Vinicius Matzenbacker.

A cidade de Tangará da Serra foi o segundo polo a receber o evento, antes a palestra passou por Campo Verde, onde também registrou uma ótima participação dos associados. Com alteração por parte da Receita Federal em relação as regras de obrigatoriedade para a entrega do Livro Caixa Digital do Produtor Rural (LCDPR), a Aprosmat observou a necessidade de levar mais informação sobre o tema e a oportunidade para os sementeiros tirarem dúvidas com um especialista da área.

O evento aconteceu no sindicato rural da cidade e contou com mais de 40 participantes, com o apoio dos associados das Sementes Germinare, Sementes Rio Alegre e Sementes Acampo e produtores da região.

Cuiabá recebe o curso para responsáveis técnicos na produção de sementes

No próximo dia 27 de novembro, a Fundação Pró-Sementes de Apoio à Pesquisa uma capacitação técnica na produção de sementes. O curso tem o objetivo aprimorar o conhecimento e consequentemente a qualidade dos serviços prestados aos produtores e usuários de sementes. Serão analisados e discutidos temas atuais e pertinentes relacionado a legislação e a produção de sementes no Centro-Oeste.

O treinamento possui carga horário de oito horas e tem como público alvo profissionais do agro, estudantes e responsáveis técnicos (engenheiros agrônomos e florestais) que atuam na área de produção e comercialização de sementes.

O curso acontece no prédio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato).

Data: 27 de novembro de 2019

Duração: 8 horas – 8h às 17h30

Cidade: Cuiabá/MT

Local: Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato). Rua Engenheiro Edgar Prado Arze, SN – Centro Político Administrativo

Investimento: R$ 297,00 – Incluso na inscrição: material didático, coffee break, almoço e certificado.

INSCRIÇÕES: www.capacitacaofps.com.br

Informações Fundação Pró-Sementes – (54) 3314-8983 / (54) 99183-5644

capacitacao@fundacaoprosementes.com.br

Apoiadores: Abrasem, Aprosmat, Famato, Imea, Crea/MT

Parceria inteligente: Intacta2 Xtend.

 

Programação:

8h – Abertura do evento

8h30 – Legislação profissional e ART – Crea-MT

9h30 – Tecnologia Intacta2 Xtend – Bayer.

11h30 – Debate

12h – Intervalo para o almoço (no local do evento)

13h30 – Cenário mundial da safra 2019/2020 – Imea

14h15 – Legislação de sementes e a competência do RT na produção – Fundação

Pró-Sementes

17h – Debate

17h30 – Encerramento.

 

Pesquisa de herbicidas para controle de ervas daninhas em folhas e campos de sementes de forrageiras

O engenheiro agrônomo Valternir José Carlin apresentou na manhã de hoje (26/09) resultados da pesquisa de herbicidas para controle de ervas daninhas em folhas e campos de sementes de forrageiras para os membros do Comitê de Sementes de Forrageiras da Aprosmat. O objetivo principal do projeto é a avaliação de controle e seletividade de diferentes herbicidas a quatro espécies de plantas daninhas em duas espécies de gramíneas forrageiras (brachiaria).

Segundo Carlin, a pesquisa é um trabalho de avaliação de graminicidas seletivos a algumas espécies de capim. “Este trabalho é para um grupo de produtores de sementes de gramíneas, braquiárias e de panicuns filiados a Aprosmat, onde eles têm algumas ocorrências de plantas daninhas de folhas estreitas e como estes dados não existem praticamente nós fizemos estudos de avaliação de herbicidas que possam ter seletividade e que tenham controle em cima destas gramíneas. Então ele é um estudo relativamente complexo, porque você tem que controlar plantas de folhas estreitas em cima de uma espécie de folha estreita, onde é estudado doses, condições de clima e outros fatores para que não se tenha fitotoxidez alta e ter o controle da planta daninha e que a espécie de capim sobreviva e se instale”, explicou.

Ainda de acordo com o pesquisador, este o segundo ano que o estudo realizado. “Nele avaliamos quatro espécies de capim, a Brachiaria Marandu, Brachiara Hibrida Ibiporã e dois Panicuns, o Tamani e o Zuri e quatro a cinco espécies de plantas daninhas de folhas estreitas que são as mais comuns para estes produtores. No nosso primeiro ano, fomos mais às escuras e mais baseados nas informações baseadas nos produtores e alguma experiência nossa. No segundo ano nós já filtramos muito mais os dados e temos mais doses e mais sugestões ou possibilidades herbicidas possíveis de serem usados. Então para cada uma das espécies de plantas daninhas de hoje nós temos no mínimo um produto que é seletivo e que é possível de se usado para se controlar esta planta daninha, então nós geramos vários dados já de modo a oferecer estas opções e estas respostas aos produtores”, ressaltou.

Destino dos dados – Os dados o produtor poderá utilizar, por exemplo o produtor está plantando uma bachiaria  brizantha marandu e ele tem problema de capim colchão, se tem uma tabela com todos os dados e informações onde ele vai saber qual herbicida poderá aplicar, em qual momento de aplicação e que dose onde ele controla o capim colchão e vai ser seletivo para a brachiaria . São informações que não existiam e a partir este estudo o produtor vai poder utilizar na fazenda, porque estes produtores estavam correndo o risco de vender sementes de brachiaria com alguma impureza como por exemplo com sementes de amargoso ou de capim pé de galinha, por isso a partir destes dados ele vai aplicar na propriedade e ter uma semente de muito mais qualidade e reduzindo inclusive o problema de competição da planta daninha.