Líder do agronegócio é homenageado durante encontro nacional de sementes

 

No 1º Encontro Nacional dos Produtores de Sementes de Soja (Ennsoja), o setor discutiu durante três dias (05, 06 e 07/07) temas inerentes a cadeia produtiva de sementes no Brasil, com a participação de multiplicadores de sementes de soja, pesquisadores, empresas e lideranças do seguimento. Além de palestras e debates, o encontro reservou um momento para homenagear personalidades que prestam serviços destacados em prol do agronegócio nacional.

A premiação foi dedicada pela Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja (Abrass), um dos homenageados da noite foi o empresário rural, Carlos Ernesto Augustin, por estar na vanguarda na defesa do setor e atuação decisiva na criação da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), além de contribuir no fortalecimento de entidades representativas como Aprosmat, Ampa, Abrass, Ipa e Fórum Agro MT.

Carlos Ernesto Augustin é natural de Carazinho (RS), graduado em agronomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Em 1984, veio para Mato Grosso, mais precisamente na zona rural do município de Pedra Preta (Serra da Petrovina) criando a empresa Sementes Petrovina. No início, contava com cinco funcionários, atualmente a empresa emprega 400 pessoas de forma direta.

Entre os anos de 2011 e 2012 foi presidente da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), vice-presidente da Aprosmat e do IMA/MT. No biênio 2013 a 2014 foi presidente do Instituto Penso Agro (Ipa). Atualmente ocupa o mandato de vice-presidente da Aprosmat.

Além de Carlos Augustin também foram homenageados, o professor doutor Tuneo Sediyama, líder do setor Manoel Olimpío, diretor do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas do Mapa, Carlos Goulart e o presidente da FPA, deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS).

Líderes do mercado de sementes de soja participam de encontro em MT

O 1º Encontro Nacional dos Produtores de Sementes de Soja (Ennsoja) proporcionou de forma inédita aos seus participantes momentos de atualização. Foram apresentadas palestras de especialistas sobre temas relevantes como mercado, biotecnologia, inovação e qualidade na produção.

Em sua primeira edição, o evento disponibilizou uma vasta programação técnica voltada para as principais políticas públicas e o setor de sementes de soja no Brasil.

Visando desenvolver a união do setor a Associação Brasileira dos Produtores de Sementes de Soja (Abrass) reuniu multiplicadores de sementes de soja, pesquisadores, empresas e lideranças do seguimento no Brasil, com intuito de viabilizar mudanças e a modernização do sistema de produção.

Além de seus associados estiveram presentes durante o evento o presidente da Frente Parlamentar da Agricultura (FPA), Alceu Moreira (MDB-RS), os ex´s ministros da Agricultura, Neri Geller e Blairo Maggi.

O presidente da FPA destacou que o evento promovido pela Abrass, marcou a forte presença do Brasil no mercado mundial de sementes de soja, “Estamos crescendo e seguiremos assim, combatendo as fake news e trabalhando pelo progresso”, assegurou Alceu.

Para o presidente da Abrass, Tiago Fonseca, o evento teve o seu objetivo alcançado, “O Enssoja superou nossas expectativas, estamos muito contentes com o resultado e esse foi o primeiro de muitos encontros que teremos em prol de conquistar melhorias em nosso setor”, destacou o presidente.

O evento ocorreu durante os dias 5, 6 e 7 de julho, em Chapada dos Guimarães. E contou com o apoio dos patrocinadores: BAYER, BASF, BIOGROW, CORTEVA, GDM, INDIGO, STOLLER, SYGENTA, TMG e UPL.

 

Com informação da Assessoria de Comunicação Abrass

 

Empaer apresenta vitrine tecnológica e sistema de cultivo em forma de mandala durante a Exposul

A intenção é mostrar aos produtores rurais, oportunidades de atualização técnica, tendências produtivas e econômicas e eficiência no planejamento da atividade agropecuária.

Numa área de 3.700 metros quadrados, a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) instalou uma Vitrine Tecnológica com diversas culturas e cultivo em forma de mandala com tecnologias voltadas para a agricultura familiar. A Vitrine estará aberta ao público durante a 47ª Exposição Agropecuária, Industrial e Comercial do Sul de Mato Grosso (Exposul), no município de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá), no Parque de Exposições Wilmar Peres de Faria, entre os dias 5 e 10 de agosto.

O coordenador regional da Empaer, Laércio Benedito Polizel, destaca que o objetivo da vitrine é demonstrar as atividades desenvolvidas pela empresa na região Sul, nas áreas de pastagens, hortaliças, fruticultura, piscicultura, culturas anuais (feijão, milho, mandioca, batata), flores tropicais e outros. Ele explica que para instalação dos experimentos foram realizados procedimentos como a análise do solo, calagem, instalação de irrigação, adubação fosfatada, controle de pragas e doenças, controle de plantas daninhas e adubação de cobertura.

O objetivo da vitrine é demonstrar as atividades desenvolvidas nas áreas de pastagens, hortaliças, fruticultura, piscicultura, culturas anuais e outros.

Conforme Polizel, foi também montado o sistema agrícola em forma de mandala, que é uma plantação sustentável com formato em círculo. Cada anel é destinado a um determinado tipo de cultivo. Na mandala serão cultivadas hortaliças como alface, couve-manteiga, tomate, batata doce, salsa, cebolinha, capim cidreira e outras. Ao todo serão 29 diferentes produtos cultivados na mandala, além das flores tropicais (alpina rosa, vermelha e quatro tipos diferentes de helicônias). “A Vitrine Tecnológica, juntamente com a construção da mandala, vai apresentar uma alternativa de produção para os pequenos produtores rurais”, enfatiza.

Toda a estrutura montada para expor o trabalho pelos técnicos da empresa está sendo executada em parceria com a Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat),  Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Rondonópolis (Aeagro), Prefeitura Municipal e Sindicato Rural de Rondonópolis. A intenção é mostrar aos produtores rurais, oportunidades de atualização técnica, tendências produtivas e econômicas e eficiência no planejamento da atividade agropecuária.

Os visitantes vão receber informações sobre preparo de canteiros, espécies forrageiras, produtos biofortificados, capineiras, tratos culturais.

O município de Rondonópolis possui 1.800 agricultores familiares entre tradicionais e assentados. Os visitantes da Vitrine Tecnológica vão receber informações sobre o cultivo protegido, olericultura, preparo de canteiros, plantio adensado, espécies forrageiras, produtos biofortificados, capineiras, tratos culturais e outros.

Durante a Exposul serão realizados palestras e eventos técnicos, e à noite acontecem os shows musicais. Também acontecerão rodeios, além de outras atrações.

 

Fonte: Empaer MT

2º Workshop Aprosmat debateu problemas e soluções para o manejo do percevejo da soja

 

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) realizou no dia 09 de julho, o 2º Workshop Aprosmat com tema “Percevejo da Soja e Qualidade de Sementes”. O evento contou com a participação de produtores de sementes, engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas que trabalham exclusivamente em produção de sementes e ocorreu  durante toda última terça-feira(09/07)no auditório da Aprosmat.

O vice-presidente da Aprosmat Jefferson Aroni destaca que o 2º Workshop Aprosmat abordou,  um tema que vem preocupando o produtor e vem causando bastante danos a cultura da soja. “O objetivo do evento foi discutir sobre as tecnologias que existem atualmente para o controle de percevejo, no caso produtos, o manejo integrado de pragas, com a discussão de como se fazer o melhor manejo, trazendo o que esta sendo feito nas fazendas e também o que tem de novidade nas pesquisas sobre o assunto e de posse destas informações que possamos ter uma maior eficiência no controle do percevejo na lavoura”, comentou.

A professora doutora Jurema Rattes da universidade de Rio Verde/GO, alertou para a importância de se antecipar as ações antes que o percevejo se instale na lavoura. “Colocamos aos presentes a importância de se controlar esse inseto antes que ele cause prejuízo, então nós mostramos as fases da soja onde ele tem preferencia de chegada e consequentemente o dano que eles causam em cada uma destas fases, e o que o produtor necessita observar no seu dia a dia, para que ele perceba que este inseto estra colonizando e que está causando dano na sua semente e na sua produção”, explicou.

Na 2ª edição do Workshop Aprosmat, a Fundação MT contribuiu com a participação da pesquisadora Lúcia Vivan, que apresentou alguns dados de pesquisas realizadas pela instituição. “Nós demostramos resultados do projeto de três anos de pesquisas com o apoio do Fase, onde verificamos o nível de dano para percevejo na soja para área de sementes, a parte de controle destes insetos e também desenvolvemos trabalhos com feromônio para monitoramento do percevejo marrom, que é uma ferramenta a mais para o manejo deste inseto”, disse.

Para exemplificar melhor os danos causados nas lavouras, o gerente técnico da Polato Sementes fez um relato do que ocorre nas áreas cultivadas do grupo que sofrem coma ação do percevejo da soja. “Nosso objetivo foi expor os problemas que temos na agricultura com o percevejo da soja e que essa soja é destinada a semente, então expomos nossos problemas para que os pesquisadores pudessem trazer informações para trabalharmos com essa praga sobre controle”, falou.

Ainda sobre os problemas causados na lavoura pela infestação do percevejo da soja, o professor Paulo Degrande da universidade federal da grande Dourados explanou, sobre a importância do debate e difusão de informações sobre o que cada região realiza para o manejo da praga. “Apresentamos o estado atual dos estudos científicos objetivando fazer com que os produtores se tornem mais eficientes e mais capazes de controlar o percevejo que é a praga chave da cultura e também discutir as questões relacionadas ao monitoramento de pragas, resistência de plantas ao controle biológico, ao manejo integrado de pragas com um todo incluindo um controle químico e na entressafra e todas as discussões sobre treinamento de profissionais, e logicamente o papel das entidades associativas no desenvolvimento do processo de produção de sementes no estado”, destacou.

Acordo Mercosul-UE prevê eliminação de tarifas para diversos produtos agrícolas

A ministra Tereza Cristina destacou que os produtores brasileiros ganharão com aumento de vendas ou redução de tarifas. E serão beneficiados inúmeros setores, de frutas a carnes.
Representantes do Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) e das 28 nações da União Europeia firmaram nesta sexta-feira (28), em Bruxelas, acordo comercial histórico, aguardado há mais de 20 anos.

Em entrevista à imprensa, após o anúncio do acordo, a ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) disse que produtores rurais brasileiros, de frutas a carnes, serão beneficiados com o tratado comercial. Segundo ela, os ganhos serão para todos, europeus e sul-americanos, em aumento de vendas ou com redução de tarifas.

“Não existe acordo em que um só ganha. É claro que ganhamos em algumas coisas mais, outras menos”, ressaltou. O acordo prevê a eliminação da cobrança de tarifas para suco de laranja, frutas (melões, melancias, laranjas, limões e outras), café solúvel, peixes, crustáceos e óleos vegetais. Atualmente, 24% das exportações brasileiras entram na UE livres de tributos. Com o acordo, a isenção chegará a quase 100% das exportações.

Durante a entrevista, a ministra recebeu telefonema do presidente Jair Bolsonaro, que está em Osaka (Japão) na reunião do G20, parabenizando toda a delegação brasileira pela conclusão do tratado. “Foi uma feliz coincidência com o trabalho de todos e hoje temos esse acordo histórico depois de 20 anos”, disse a ministra, ao informar que o presidente citou o trabalho do ministro Paulo Guedes (Economia).

O ministro Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, prevê que os efeitos do livre comércio entre os blocos serão positivo não apenas na agricultura, mas também para a indústria e o setor de serviços. “A União Europeia entendeu a importância de concluir um acordo com o Mercosul. Isso reflete que o Mercosul não é um parceiro qualquer”, ressaltou.

>> Leia aqui nota oficial da conclusão do acordo

Já o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Marcos Troyjo, diz que o acordo ajuda a abrir a economia brasileira e incrementar a participação do comércio exterior no PIB. “Esperamos um aumento significativo da corrente de comércio exterior. Outro fator é que, como o nosso mercado era muito protegido, o Brasil ficou muito distante das cadeias globais de produção”.

O texto integral do acordo deve ser divulgado neste sábado (29), em Bruxelas. Após revisão técnica e jurídica, o próximo passo é a aprovação pelos Parlamentos europeu e dos países do Mercosul. Depois, ratificado pelos governos das nações sul-americanas e dos Estados-parte da UE.

Repercussões

Em entrevista coletiva após a reunião que culminou no fechamento do acordo, a comissária de Comércio da União Europeia, Cecilia Malmström, disse que o acordo não tem precedentes em termos de economia com tarifas e adiantou que as empresas economizarão quatro vezes mais com as operações de fronteira.

“Este é um acordo histórico. O acordo que firmamos hoje cobre mais de 760 milhões de pessoas de dois continentes que estão juntos em espírito de abertura e cooperação”, disse, acrescentando que 60 mil empresas europeias já fazem negócio com países do Mercosul com investimentos da ordem de 400 bilhões de euros e o acordo poderá dar um impulso a agropecuária.

O Comissário para Agricultura e Desenvolvimento Rural da União Europeia (UE), Phil Hogan, disse que foram feitas significativas concessões para assegurar um acordo “equilibrado, compreensivo e ambicioso”. “Depois de exatos 20 anos, estou satisfeito com o que alcançamos. É um acordo equilibrado que atende às expectativas”. Ele destacou que o acordo garante segurança para agricultores e produtores de ambos os continentes.

O chanceler argentino, Jorge Faurie, disse que o acordo mostra o comprometimento com a integração, o multilateralismo e a abertura de mercados. “Nesta negociação pudemos mostrar ao G20 que há dois blocos de países muito capazes de superar as diferenças, atender às necessidades e trabalhar juntos em benefício das pessoas dos dois continentes”.

Veja o que prevê o acordo

– Eliminação da cobrança de tarifas para suco de laranja, frutas (melões, melancias, laranjas, limões e outras), café solúvel, peixes, crustáceos e óleos vegetais.

– Exportadores brasileiros de vários setores terão acesso preferencial: carnes (bovina, suína e de aves), açúcar, etanol, arroz, ovos e mel.

– Foram reconhecidos como distintivos do Brasil: cachaças, queijos, vinhos e cafés. Isso significa que a identidade desses produtos será protegida no território europeu.

– O acordo não prevê uso de salvaguardas agrícolas especiais, o que preserva os interesses dos produtores brasileiros.

– Empresas brasileiras terão tarifas de exportação eliminadas para 100% dos produtos industriais.

– Empresas brasileiras poderão participar de licitações da União Europeia, um mercado estimado em US$ 1,6 trilhão

– Redução dos custos e agilidade nos processos de importação, exportação e trânsito de bens

– Produtores brasileiros poderão acessar insumos de alta tecnologia com preços menores.

– Consumidores terão acesso a maior diversidade de produtos a preços competitivos.

Efeitos do acordo para o Brasil

– Acordo Mercosul-UE aumentará o PIB brasileiro em US$ 87,5 bilhões em 15 anos, podendo chegar a US$ 125 bilhões se consideradas a redução das barreiras não-tarifárias e o incremento esperado na produtividade total dos fatores de produção. A estimativa é do Ministério da Economia.

– Investimentos no Brasil, em 15 anos, devem crescer da ordem de US$ 113 bilhões.

– Exportações brasileiras terão ganho de quase US$ 100 bilhões até 2035.

– Em 2018, o Brasil registrou comércio de US$ 76 bilhões com a UE e superávit de US$ 7 bilhões. As exportações agrícolas brasileiras para a União Europeia chegaram a US$ 13,6 bilhões, no ano passado. O farelo de soja lidera a lista (US$ 3,4 bilhões). As importações do Brasil resultaram em US$ 2,2 bilhões, principalmente de azeite (US$ 362,5 milhões) e vinhos (US$ 156,6 milhões) dos europeus.

Relação Mercosul-UE

– A União Europeia é o segundo parceiro comercial do Mercosul e o primeiro em investimentos. O Mercosul é o oitavo principal parceiro comercial extrarregional da UE.

– Em 2018, a corrente de comércio (soma das exportações e importações) entre Mercosul e União Europeia resultou em US$ 94 bilhões, conforme estatísticas internacionais de comércio.

– Em 2017, o estoque de investimentos da UE no bloco sul-americano somava cerca de US$ 433 bilhões.

2º Workshop Aprosmat abordará o percevejo da soja e qualidade de sementes

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) realiza no dia 09 de julho, o 2º Workshop Aprosmat com tema “Percevejo da Soja e Qualidade de Sementes”. O evento ocorrera no auditório do Sindicato Rural de Rondonópolis e tem como público alvo produtores de sementes, engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas que trabalham exclusivamente em produção de sementes.

 

Programação:

08h – Abertura: Gutemberg Carvalho Silveira – Presidente Aprosmat.

08h10 – Introdução: Andréia Bernabé – Dir. Executiva Aprosmat.

08h20 – Situação atual do problema de percevejos e compartilhamento de atitudes de sucesso no manejo de percevejos da soja em Mato Grosso. Engenheiro agrônomo Bento Manoel Ferreira – Polato Sementes.

08h40 – Apresentação de resultados de pesquisas em Mato Grosso. Drª Lucia M. Vivan – Fundação MT Rondonópolis.

09h30 – Dimensionamento de danos e controle eficiente de percevejos da soja – Jurema F. Rattes – Univr – Rio Verde/GO.

10h30 – Manejo de percevejos da soja no cerrado do Brasil: grãos x sementes – Paulo E. Grande – UFGD, Dourados/MS.

13h30 – Dimensionamento de danos e controle eficiente de percevejos da soja – Jurema F. Rattes –Univr – Rio Verde/GO.

14h10 – Inseticidas químicos no controle eficiente de percevejos na cultura da soja – Silvestre Bellettini – Uenp – Bandeirantes/PR.

15h – Debate com palestras.

16h15 – Painel – Revisão das discussões, ações futuras nas fazendas e entidades, definição de novos trabalhos de pesquisas a serem realizados. Moderadores: Jefferson Aroni e Lucia Vivan.

17h – Aprovação do Relatório do 2º workshop.

17h15 – Encerramento.

As inscrições gratuitas podem ser feitas pelo link: http://percevejodasoja.aprosmat.com.br/, para mais informações no telefone (66) 3427.2400.

Com R$ 225,59 bilhões, Plano Safra 2019/2020 é lançado

 

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

O lançamento ocorreu no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Jair Bolsonaro. A ministra Tereza Cristina destacou que o plano atenderá pequenos, médios e grandes produtores
O governo federal lançou nesta terça-feira (18), em cerimônia no Palácio do Planalto, o Plano Safra 2019/2020, que irá atender pequenos, médios e grandes produtores, todos juntos em um único plano após 20 anos. O plano prevê R$ 225, 59 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional. Do total, R$ 222,74 bilhões são para o crédito rural (custeio, comercialização, industrialização e investimentos), R$ 1 bilhão para o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) e R$ 1,85 bilhão para apoio à comercialização.

“Toda a agricultura, independentemente de seu porte, desempenha papel fundamental para garantir a nossa segurança alimentar e de nossos 160 parceiros comerciais. Então essa é a primeira vez, depois de muito tempo, que lançamos um único Plano Safra. Fato que merece ser realçado: temos enfim uma só agricultura alimentando com qualidade o Brasil e o mundo”, destacou a ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) no anúncio, acompanhado por diversos ministros, secretários do ministério, parlamentares e representantes dos setores agrícola e pecuário.

O presidente Jair Bolsonaro elogiou o trabalho conjunto da equipe de governo para a construção do Plano Safra e destacou inovações como a disponibilização de recursos, R$ 500 milhões, para os pequenos produtores aplicarem na construção e reforma de suas casas.

“Foi uma construção que passou por muita gente. Eu fico muito feliz de estar à frente de um governo onde todos se falam entre si. Aqui não há briga política, apenas para que cada um possa servir o Brasil”, afirmou Bolsonaro.

O secretário de Política Agrícola do Ministério, Eduardo Sampaio Marques, destacou que foram mantidas baixas taxas de juros (3% ao ano) para o pequeno agricultor financiar melhorias em sua propriedade e sistema de produção, como recuperação de áreas degradadas, correção de solo e armazenagem. “Esse tipo de investimento segue sendo prioritário neste Plano Safra”, disse.

O presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Freitas, agradeceu o esforço do governo, mesmo em um período de contenção de gastos, pelos recursos destinados ao plano. Segundo ele, sem o crédito rural e o Plano Safra, o setor não teria força para produzir e atender a demanda brasileira e mundial. “Ele [Plano Safra] atende as prioridades dos produtores rurais. Nosso setor continuará produzindo mais para os brasileiros e todo o mundo”, disse.

>> Conheça aqui o Plano Safra 2019/2020

Aprosmat é homenageada durante o Fórum Mais Milho

Com um público estimando em 400 pessoas a cidade de Cuiabá recebeu na última segunda-feira (10/06), a última edição da terceira temporada do Fórum Mais Milho. O projeto é uma realização da Associação Brasileira de Produtores de Milho (Abramilho), Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) e Canal Rural, com a coordenação técnica da Embrapa Milho e Sorgo.

O Mais Milho realiza fóruns em diversos estados, onde são discutidas e debatidas as variadas perspectivas de como o milho pode avançar em produtividade, tecnologia, mercado e valorização do produto. Nesta edição foram realizados dois painéis com os temas:

Painel 1 –  Técnicas sustentáveis que reduzem o custo em 50%. Uso e registro de agentes de controle biológico. Palestrante: Rose Monnerat, Pesquisadora Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia.  Debatedores: Neri Marcante, diretor da Mineragro – Soluções em Agromineirais, José Eduardo de Mendonça, produtor rural, Moderação: Glauber Silveira, vice-presidente da Abramilho.

Painel 2 – O impacto da tributação dentro e fora da porteira. Planejamento tributário como ferramenta de gestão para o produtor rural. Palestrante: Sandro Al-Alam Elias, sócio diretor da empresa Safras & Cifras. Consultor de Empresas Rurais Familiares há mais de 15 anos nas áreas de Sucessão Familiar, Planejamento Tributário, Governança e Gestão Econômica Financeira.

Os desafios e cenários futuros da produção de grãos em Mato Grosso. Palestrante: Sâmyla Sousa, analista do Observatório de Investimentos na Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária. Debatedores: Neri Geller, deputado federal, Antônio Galvan, presidente Aprosoja-MT e moderação de Mauro Zafalon, jornalista da Folha de S. Paulo. Apresentação do jornalista Luiz Patroni. O evento aconteceu no auditório Cenarium Rural.

Homenagem – O presidente da Aprosmat, Gutemberg Carvalho Silveira recebeu das mãos do presidente do Canal Rural, Júlio Cargnino placa alusiva ao 39º aniversário da associação.

O presidente da Aprosmat, Gutemberg Carvalho Silveira ressalta o trabalho em prol do agronegócio realizado nestes 39 anos e o empenho em manter a excelência no desenvolvimento do setor sementeiro em Mato Grosso. “A Aprosmat caminha junto com o crescimento do agronegócio no estado e ver como a associação cresceu em tamanho, capacidade técnica e na área de análise de sementes, inclusive com reconhecimento internacional. Isso nos enche de orgulho e animo para seguir para os próximos desafios que a produção de sementes nos apresenta a cada ano”, disse.

Aprosmat chega aos 39 anos de criação e se consolida na vanguarda de analises de sementes no país

Com atuação destacada no setor sementeiro de Mato Grosso, a Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso – Aprosmat, segue a missão de consolidar e dar suporte por meio de pesquisas a cadeia produtiva de sementes do estado. No mês de junho, a Associação completa 39 anos de criação, desde 10 de junho de 1980 a Aprosmat segue em uma curva crescente de evolução técnica e de ferramentas que vem auxiliando os atuais 40 associados.

O investimento em subsidiar de todo tipo de informações os produtores de sementes passa pela implantação de três laboratórios, sendo o laboratório de análise de sementes, laboratório de nematologia e laboratório de patologia, como de sementes responsável por análises da qualidade na fase de pré-colheita, verificação da qualidade, análise de produção e acompanhamento pós-venda e que Recentemente foi admitido como membro da International Seed Testing Association (ISTA). A ISTA foi fundada em 1924, com o objetivo de desenvolver e publicar procedimentos padrões no campo de testes de sementes, a ISTA está intrinsecamente ligada à história do teste de sementes. Com laboratórios membros em mais de 70 países com economias distintas em todo o mundo.

Com objetivo de aproximar, ainda mais o produtor e as empresas que comercializam sementes de soja associadas a Aprosmat, foi criado um canal de comunicação, a OUVIDORIA, onde a Aprosmat recebe a reclamações, denúncias de sementes piratas ou feedback de como se deu a entrega de a semente direto ao canal competente. Esta ferramenta oferece três meios de utilização, pelo telefone via 0800-580-0260, pelo WhatsApp (011) 970055-9331 e por aplicativo de celular que pode ser baixado na Google Play para sistema android ou para Iphone na AppStore.

A capacitação de profissionais da própria Aprosmat e associados que lidam diretamente com as sementes, também é uma preocupação da entidade, que realiza periodicamente cursos para analistas de sementes de algodão e soja, ministrados por pesquisadores renomados na área de sementes. Um exemplo disso foi o curso de avaliação da qualidade fisiológica de sementes de algodão e noções de tetrazólio em Soja, no mês de fevereiro deste ano que contou com pesquisadores renomados.

Para difundir todo o portfólio de conhecimento nestes 39 anos e também trazer o que há de mais recente em pesquisa sobre sementes, a Aprosmat promove já na sua segunda edição uma rodada técnica que percorreu as principais regiões produtora de sementes de Mato Grosso, com palestras de pesquisadores com muito conhecimento a ser repassado aos participantes.

No ano passado, a Aprosmat também investiu no desenvolvimento humano por meio de uma rodada de palestras motivacionais com o multicampeão da vela, Lars Grael. O evento passou por seis cidades levando uma perspectiva diferente sobre as dificuldades enfrentadas dentro da lavoura e fazendo um paralelo do que o desportista passou em sua vida.

Para acompanhar as tendências mundiais, a Aprosmat proporciona aos seus associados missões internacionais, como CSS 2018 & Seed Expo, em Chicago, no estado americano de Illinois. Com programação de palestras, exposição de maquinas, reuniões com multinacionais, ampliando assim a rede de networking dos integrantes do grupo ligadas ao setor sementeiro.

O presidente da Aprosmat, Gutemberg Carvalho Silveira ressalta o trabalho em prol do agronegócio realizado nestes 39 anos e o empenho em manter a excelência no desenvolvimento do setor sementeiro em Mato Grosso. “A Aprosmat caminha junto com o crescimento do agronegócio no estado e ver como a associação cresceu em tamanho, capacidade técnica e na área de análise de sementes, inclusive com reconhecimento internacional. Isso nos enche de orgulho e animo para seguir para os próximos desafios que a produção de sementes nos apresenta a cada ano”, disse.

Técnicos da Aprosmat recebem capacitação

A Associação dos Produtores de Sementes do Estado de Mato Grosso (Aprosmat) realizou entre os dias 27 e 31 de maio uma capacitação para os técnicos do laboratório de sementes focado em morfologia e identificação de sementes, o curso foi ministrado na sede da associação pela engenheira agrônoma, dourtora Dóris Groth.

Na capacitação os técnicos receberam orientações de como identificas famílias de espécies invasoras, principalmente na soja, milho e sementes de braquiária. Segundo Dóris Groth, um conhecimento fundamental no momento crucial que é a colheita. “O curso é de morfologia e identificação de sementes, no caso as sementes invasoras sejam elas nocivas ou pragas quarentenárias ou até mesmo sementes silvestres. Elas estão na lavoura e na hora da colheita, seja da soja, milho e sementes de braquiária estas sementes invasoras vêm junto, porque as plantas estão juntas na lavoura e existem padrões de sementes feitos pelo ministério da agricultura, então o laboratório é obrigado a fazer a identificação”, explicou.

Em seu segundo curso de capacitação sobre morfologia e identificação de sementes, a técnica de laboratório, Márcia Apolônio de Lima Ferreira destacou a qualidade das informações repassadas pela especialista. “A partir do momento que você recebe estas informações de um assunto tão amplo os seus horizontes se abrem, nós começamos a ver a identificação de sementes de outra forma. Este é o meu segundo curso e focamos em algumas famílias de espécies botânicas, onde podemos reunir as famílias que mais nos interessávamos para que a doutora Dóris pudesse aprofundar mais na explicação, o que vai resultar positivamente sequência de nosso trabalho no laboratório de sementes da Aprosmat”, disse.

O objetivo da Aprosmat, segundo o diretor administrativo da Associação, Thiago de Vasconcelos é garantir a melhor capacitação e conhecimento para os seus técnicos do laboratório de sementes. “É importante investir na qualificação e preparação da equipe, para que possamos colher bons resultados naquilo que nós acreditamos em avançar na qualidade em entregar ao mercado em eficiência e alto padrão”, concluiu. A capacitação em morfologia e identificação de sementes teve a carga horaria de 44 horas.