Aprosmat se reúne com associados em Tangara da Serra para discutir sobre o Livro Caixa Digital

A Aprosmat promoveu nesta quinta-feira (31/10), em Tangara da Serra, uma reunião para associados, contadores e advogados com o tema “Livro Caixa Digital”, ministrada pelo contador Marcus Vinicius Matzenbacker.

A cidade de Tangará da Serra foi o segundo polo a receber o evento, antes a palestra passou por Campo Verde, onde também registrou uma ótima participação dos associados. Com alteração por parte da Receita Federal em relação as regras de obrigatoriedade para a entrega do Livro Caixa Digital do Produtor Rural (LCDPR), a Aprosmat observou a necessidade de levar mais informação sobre o tema e a oportunidade para os sementeiros tirarem dúvidas com um especialista da área.

O evento aconteceu no sindicato rural da cidade e contou com mais de 40 participantes, com o apoio dos associados das Sementes Germinare, Sementes Rio Alegre e Sementes Acampo e produtores da região.

Cuiabá recebe o curso para responsáveis técnicos na produção de sementes

No próximo dia 27 de novembro, a Fundação Pró-Sementes de Apoio à Pesquisa uma capacitação técnica na produção de sementes. O curso tem o objetivo aprimorar o conhecimento e consequentemente a qualidade dos serviços prestados aos produtores e usuários de sementes. Serão analisados e discutidos temas atuais e pertinentes relacionado a legislação e a produção de sementes no Centro-Oeste.

O treinamento possui carga horário de oito horas e tem como público alvo profissionais do agro, estudantes e responsáveis técnicos (engenheiros agrônomos e florestais) que atuam na área de produção e comercialização de sementes.

O curso acontece no prédio da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato).

Data: 27 de novembro de 2019

Duração: 8 horas – 8h às 17h30

Cidade: Cuiabá/MT

Local: Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato). Rua Engenheiro Edgar Prado Arze, SN – Centro Político Administrativo

Investimento: R$ 297,00 – Incluso na inscrição: material didático, coffee break, almoço e certificado.

INSCRIÇÕES: www.capacitacaofps.com.br

Informações Fundação Pró-Sementes – (54) 3314-8983 / (54) 99183-5644

capacitacao@fundacaoprosementes.com.br

Apoiadores: Abrasem, Aprosmat, Famato, Imea, Crea/MT

Parceria inteligente: Intacta2 Xtend.

 

Programação:

8h – Abertura do evento

8h30 – Legislação profissional e ART – Crea-MT

9h30 – Tecnologia Intacta2 Xtend – Bayer.

11h30 – Debate

12h – Intervalo para o almoço (no local do evento)

13h30 – Cenário mundial da safra 2019/2020 – Imea

14h15 – Legislação de sementes e a competência do RT na produção – Fundação

Pró-Sementes

17h – Debate

17h30 – Encerramento.

 

Pesquisa de herbicidas para controle de ervas daninhas em folhas e campos de sementes de forrageiras

O engenheiro agrônomo Valternir José Carlin apresentou na manhã de hoje (26/09) resultados da pesquisa de herbicidas para controle de ervas daninhas em folhas e campos de sementes de forrageiras para os membros do Comitê de Sementes de Forrageiras da Aprosmat. O objetivo principal do projeto é a avaliação de controle e seletividade de diferentes herbicidas a quatro espécies de plantas daninhas em duas espécies de gramíneas forrageiras (brachiaria).

Segundo Carlin, a pesquisa é um trabalho de avaliação de graminicidas seletivos a algumas espécies de capim. “Este trabalho é para um grupo de produtores de sementes de gramíneas, braquiárias e de panicuns filiados a Aprosmat, onde eles têm algumas ocorrências de plantas daninhas de folhas estreitas e como estes dados não existem praticamente nós fizemos estudos de avaliação de herbicidas que possam ter seletividade e que tenham controle em cima destas gramíneas. Então ele é um estudo relativamente complexo, porque você tem que controlar plantas de folhas estreitas em cima de uma espécie de folha estreita, onde é estudado doses, condições de clima e outros fatores para que não se tenha fitotoxidez alta e ter o controle da planta daninha e que a espécie de capim sobreviva e se instale”, explicou.

Ainda de acordo com o pesquisador, este o segundo ano que o estudo realizado. “Nele avaliamos quatro espécies de capim, a Brachiaria Marandu, Brachiara Hibrida Ibiporã e dois Panicuns, o Tamani e o Zuri e quatro a cinco espécies de plantas daninhas de folhas estreitas que são as mais comuns para estes produtores. No nosso primeiro ano, fomos mais às escuras e mais baseados nas informações baseadas nos produtores e alguma experiência nossa. No segundo ano nós já filtramos muito mais os dados e temos mais doses e mais sugestões ou possibilidades herbicidas possíveis de serem usados. Então para cada uma das espécies de plantas daninhas de hoje nós temos no mínimo um produto que é seletivo e que é possível de se usado para se controlar esta planta daninha, então nós geramos vários dados já de modo a oferecer estas opções e estas respostas aos produtores”, ressaltou.

Destino dos dados – Os dados o produtor poderá utilizar, por exemplo o produtor está plantando uma bachiaria  brizantha marandu e ele tem problema de capim colchão, se tem uma tabela com todos os dados e informações onde ele vai saber qual herbicida poderá aplicar, em qual momento de aplicação e que dose onde ele controla o capim colchão e vai ser seletivo para a brachiaria . São informações que não existiam e a partir este estudo o produtor vai poder utilizar na fazenda, porque estes produtores estavam correndo o risco de vender sementes de brachiaria com alguma impureza como por exemplo com sementes de amargoso ou de capim pé de galinha, por isso a partir destes dados ele vai aplicar na propriedade e ter uma semente de muito mais qualidade e reduzindo inclusive o problema de competição da planta daninha.

Campo Verde recebe palestra promovida pela Aprosmat sobre livro caixa digital do produtor rural

A Receita Federal alterou as regras de obrigatoriedade para a entrega do Livro Caixa Digital do Produtor Rural (LCDPR), com isso surgiram algumas dúvidas dentro do setor e com o objetivo de esclarecê-las a Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) realizou na cidade de Campo Verde para associados, contadores uma palestra sobre o tema com o contador Marcus Vinicius Matzenbacker e ainda foi criado um grupo de discussão.

A diretora executiva da Aprosmat, Andreia Bernabé destacou a importância de levar este tipo de esclarecimentos a todos os associados. “É um assunto muito importante onde o produtor rural deve estra atento a estas novas medidas que o governo vem tomando em cima deste tema. E a Aprosmat sempre buscando levar mais informação e conhecimento aos associados idealizou esta palestra aqui em Campo Verde atendendo a demanda dos produtores de sementes locais”, comentou.

Um dos parceiros na realização do evento foi a Cooperfibra, para o presidente da cooperativa José Carlos Dolphine este tipo de ação é importante para discutir assuntos pertinentes ao agronegócio. “É de grande relevância podermos discutir e buscar o entendimento com um diálogo para que possamos fazer o enfrentamento ou o diálogo com os órgãos que nos representam e também Sefaz e todos os órgãos do governo”, explicou.

A produtora rural Elaine Botan explica que a criação do grupo de discussão, com o mesmo modelo de atuação do criado em Rondonópolis visa ajudar a aqueles produtores e sua assessoria contábil que tenham dificuldades de gerir o seu livro caixa digital. “O objetivo principal é socializar o conhecimento conseguindo esta interação com a troca de experiências dentro do nosso setor e trabalhando de uma forma preventiva onde podemos alinhas nosso conhecimento dentro da cadeia produtiva do agronegócio”, disse.

O palestrante Marcus Vinicius Matzenbacker avaliou de forma positiva o encontro com os produtores rurais e contadores. “Foi um privilégio conversar com um grande número de pessoas aqui na palestra sobre a temática do livro caixa do produtor rural, onde é obrigatório como assessório da receita federal que está impondo isso aos agricultores para tributar os seus resultados”, finalizou. O evento foi uma parceria entre Aprosmat, Cooperfibra e Sindicato Rural de Campo Verde.

Rondonópolis sediou Fórum Regional Cesb de Máxima Produtividade

DCIM100MEDIADJI_0031.JPG

 

Com o objetivo de difundir os cases de sucesso em máxima produtividade da soja na safra 18/19, o Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb) realizou no último dia 18 de setembro, o Fórum Regional Cesb de Máxima Produtividade – etapa Centro-Oeste. O auditório da Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Rondonópolis (Aeagro) ficou lotado para a rodada de palestras, com a presença engenheiros agrônomos, técnicos e estudantes, além de representantes das diretorias da Associação dos Produtores de Sementes de mato Grosso (Aprosmat), Aeagro, Fundação MT e Cesb.

O membro do Cesb, Nery Ribas detalhou a agenda fóruns regionais após a divulgação dos campeões do desafio Cesb de máxima produtividade da soja na safra 18/19. “No mês de junho nós divulgamos os campões do desafio que nesta edição chegamos a mais de cinco mil inscrições em quatro regiões, norte/nordeste, centro-oeste, sudeste, sul e em área irrigada, logo após realizamos o fórum nacional e seguimos para os regionais, onde Rondonópolis foi privilegiada a sediar o evento do centro oeste”, disse.

Um dos palestrantes convidados foi o professor da Universidade de Rio Verde, Gustavo Adolfo Pazzetti Ordoñez que falou sobre o manejo fisiológico na busca do equilíbrio funcional de cultivo. “A proposta é nós mantermos plantas que tenham maior habilidade de transformar água, luz e adubo em grãos, e nós só conseguimos isso a partir do momento que se consegue dar estabilidade funcional para planta. Quando a planta chega nesta estabilidade, ela consegue um melhor aproveitamento dos recursos ambientais e dá adubação, ela está mais preparada para o desgaste energético associado ao stress”, explicou.

O coordenador técnico e de pesquisada do Cesb, João Augusto Lopes Pascoalino apresentou aos participantes do Fórum Regional as informações e dados dos campeões do desafio em máxima produtividade da soja do centro-oeste. “A região tem uma oportunidade enorme de ganho produtivo, chegando a até 20 sacas de soja por hectare dependendo das condições de cada estado do centro oeste e detalhamos quais são estes fatores produtivos, como entender a lógica da planta em relação a prioridades, construção de perfil de solo, aspectos físicos, químicos e biológicos, depois entramos na entrada de materiais genéticos e entender a implantação da cultura com pontos de destaque como datas de plantio, velocidade de plantio, profundidade de fertilizante, dinâmica de fertilizante e pôr fim a condução da lavoura como um todo”, comentou.

Como apoiadora do evento e na vanguarda na busca de tecnologia e ferramentas, que tragam benefícios aos produtores de sementes do estado, a Aprosmat marcou presença no Fórum Regional Cesb de Máxima Produtividade. E segundo o presidente da associação, Gutemberg Carvalho Silveira a entidade fomenta a produção e comercialização de produtos com alta qualidade e procedência. “Tivemos a oportunidade de conhecer algumas novas tecnologias que estão à disposição do produtor rural no mercado. E a Aprosmat sempre trabalhando nesta linha oferecer o que há de melhor, para os produtores rurais do Mato Grosso e de outras regiões que adquirem nossas sementes há dois anos trabalhamos com 85% de mínimo de germinação, onde o ministério da agricultura trabalha com 80%. Além disso, temos o 0800-580-0260 que serve como um canal direto entre a Aprosmat e os produtores rurais para qualquer denúncia ou sugestão preservando o anonimato”, finalizou.

 

O Fórum Regional Cesb de Máxima Produtividade – etapa centro oeste contou com o apoio para sua realização da Aeagro, Fundação MT e Aprosmat.

Mato Grosso recebe o Fórum Regional de Máxima Produtividade Cesb

No próximo dia 18 de setembro a cidade de Rondonópolis recebe o Fórum Regional de Máxima Produtividade do Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb). O evento tem o objetivo de promover o intercâmbio de informações e boas práticas de tecnologia e manejo que posam estimular cada vez mais melhores resultados em termos de alta produtividade de soja no Brasil.

O encontro contará com a palestra do coordenador técnico do Cesb, João Augusto Lopes Pascoalino, onde vai abordar informações atualizadas do Desafio Cesb Safra 2018/2019, com intuito de mostrar o tamanho da oportunidade que temos no Centro-oeste no quesito aumento de produtividade, bem como será apresentado o case campeão do centro-oeste na integra ficando principalmente nas estratégias de manejo adotadas pelo produtor.

Outra palestra será do professor da Universidade de Rio Verde (GO), Gustavo Pazzetti, que vai proferir sobre “Manejo fisiológico para equilíbrio funcional de cultivos” focando principalmente na cultura da soja. O mesmo abordará também as prioridades fisiológicas das plantas adotadas para expressar o máximo do seu potencial produtivo.

O evento tem entrada gratuita e será realizado na sede social da Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Rondonópolis (Aeagro) à partir das 8 horas. O Fórum Regional de Máxima Produtividade do Cesb tem o apoio da Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat), Fundação Mato Grosso e Aeagro. Outras informações pelo telefone (66) 99907-1479.

Campanha “Motorista Nota 10” é lançada e foca no correto carregamento e armazenagem de sementes de soja

 

Nesta quinta-feira (05/09) a Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) lançou mais uma edição da campanha “Motorista Nota 10”, na fazenda Rio Alegre, que fica localizada no município de Diamantino. O objetivo da campanha é de orientar os motoristas e outros profissionais envolvidos na logística de transporte e armazenamento das sementes, pós-saída da sementeira, quanto aos cuidados necessários para manter a qualidade de sementes de soja no transporte e armazenamento.

 

O gerente de sementes da fazenda Rio Alegre, Marcos Almeida destaca a importância desta etapa em todo o processo de produção de soja. “Esse é um momento primordial, onde tratamos com muito cuidado na questão da orientação dos nossos colaboradores e dos terceirizados também e por entender que é uma etapa tão importante quanto à produção no campo, armazenamento e o controle de qualidade, a logística tem o seu papel crucial e desta forma orientamos todos que fazem parte deste processo”, disse.

 

Para o professor da Universidade Federal de Mato Grosso, Rogério Coimbra que é especialista em na área de produção e tecnologia de sementes. “A importância do transporte é igual à de produção a campo, beneficiamento e armazenamento, a função deles (motoristas) na entrega do material ela é efetiva e de suma importância, pois se houver um problema mecânico no caminhão pode se perder todo o trabalho realizado nas etapas anteriores”, comentou.

Como peça fundamental desta etapa, o motorista Benildo Chassot com mais de 20 anos de experiência no transporte de sementes aprovou a campanha “Motorista Nota 10”. “Na minha opinião é uma responsabilidade muito grande de quem transporta este tipo de carga, por que é um ser vivo e temos que garantir que chegue no destino com a maior qualidade possível”, falou.

 

E entendendo esta responsabilidade por parte do motorista, a Aprosmat a quatro anos vem desenvolvendo esta campanha, a diretora executiva da Associação conta que a mensagem que é repassada os responsáveis pela logística dos associados é de sempre seguir os procedimentos que garantam a máxima qualidade do produto. “Nesse processo nós procuramos orientar estes motoristas no sentido dele ficar bem atento as condições do seu veículo, para que não tenham pregos ou algum objeto que possam a vir danificar esta sacaria e também no deslocamento evitem os horários onde a temperatura está muito alta e preferir o final de tarde ou início da manhã”, concluiu.

 

O presidente da Aprosmat, Gutemberg Carvalho Silveira, observa que este é o momento fundamental para repassar aos motoristas informações, que podem auxilia-los na hora do carregamento das sementes e desta forma ajudando a manter a qualidade do produto. “O motorista é treinado para fazer o transporte de forma adequada e segura, pois a semente é um organismo vivo e com estas orientações nós esperamos que ela sofra menos possível neste trajeto da unidade onde ela foi produzida até o consumidor final, que é o produtor”, explicou.

Hora de Plantar da Fundação MT conta com a participação da Aprosmat

A edição deste ano do projeto “A Hora de Plantar” da Fundação MT, começou no último dia 19 de agosto em Sapezal, em 2019 o tema abordado é “Integração: A Chave Que Abre Novos Horizontes”, com a realização de rodadas em duas regiões do estado o evento contará no corpo de palestrantes com a participação da nematologista Tania Silveira da Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat).
A especialista em nematoides explica que o objetivo da participação da Aprosmat nas rodadas de palestras do “A Hora de Plantar” é demostrar os resultados obtidos em um projeto, onde foram realizadas análises de ingredientes ativos de produtos utilizados para o tratamento de sementes de soja, um comparativo entre o tratamento de sementes on farm (TSOnF) e o tratamento de sementes industrial (TSI). O objetivo deste trabalho é avaliar a qualidade e efetividade dos tratamentos de sementes de soja submetidas a diferentes condições operacionais, tanto TSI e on farm.
O projeto piloto ocorreu na safra 2018/19, quando foram visitadas pelos técnicos da Aprosmat cerca de 300 propriedades no estado, onde foram coletadas 140 amostras de tratamento on farm e 27 amostras de tratamento industrial de soja. As amostras foram enviadas para o laboratório da SGS em São Paulo e os resultados das analises verificaram que 78% dos tratamentos on farm estão fora do padrão (tratamento utilizado x tratamento encontrado) e os resultados encontrados nas amostras analisadas com TSI ficaram dentro dos padrões estabelecidos (tratamento utilizado x tratamento encontrado).
Outro dado destacado foi o alto índice de uso de produtos não registrados e não recomendados para tratamento de semente, o que segundo ele traz uma impacto direto na qualidade da semente.
A primeira rodada do “A Hora de Plantar” passou ainda pelas cidades de Campo Novo do Parecis, Tangará da Serra, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Nova Ubiratã, Sorriso, Sinop e Tapurah. A segunda rodada ocorre em Querência (23/09), Canarana (24/09), Água Boa (24/09), Primavera do Leste (25/09), Campo Verde (26/09) e Rondonópolis (27/09).

Aprosmat lança campanha para orientar sobre cuidados com as sementes de soja no período do carregamento e armazenagem

 

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) lança no próximo dia 05/09 a campanha Motorista Nota 10. A ação visa orientar os motoristas e outros profissionais envolvidos na logística de transporte e armazenamento das sementes, pós-saída da sementeira, quanto aos cuidados necessários para manter a qualidade de sementes de soja no transporte e armazenamento.

Na ocasião serão distribuídos cartazes e folhetos para motoristas com orientações quanto a melhor maneira de acomodar as sementes nos caminhões e quanto às condições de temperatura e local de armazenagem antes da semeadura.

O lançamento acontece às 9 horas, na sede da empresa Sementes Rio Alegre, na zona rural do município de Diamantino (MT).

 

Campanha Motorista Nota 10

Data: 05/09/2018

Hora: 9 horas

Local: Fazendo Rio Alegre – Rodovia MT 235 – km 170 (Diamantino).

Curso qualifica profissionais do setor sementeiro

 

A Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) realizou o IV Curso de Avaliação de Qualidade Fisiológica de Sementes de Algodão e Noções de Tretrazólio em Soja, nos três dias 20 profissionais de empresas do setor sementeiro receberam capacitação ministrada pelos professores Drª Maria Laene Moreira de Carvalho e Dr. João Almir de Oliveira.

 

A professora Maria Laene avaliou de forma positiva a 4ª edição do curso. “Nestes três dias de treinamentos nós conseguimos um rendimento muito bom, com uma interação interessante com os analistas onde focamos os trabalhos em tretrazólio em algodão.  Pois hoje a semente de algodão tem uma importância muito grande, onde a qualidade é fundamental e com o treinamento dos analistas vai fazer com que o controle de qualidade da empresa produtora seja mais eficiente”, disse.

 

O pouco conhecimento de boa parte dos analistas de sementes sobre o tretrazólio em algodão, segundo o professor João Almir de Oliveira, só reforça ainda mais este tipo de iniciativa realizada pela Aprosmat. “É uma demanda muito grande por este tipo de qualificação, no mês de fevereiro estivemos aqui e conseguimos capacitar um grupo grande de laboratoristas e agora estamos capacitando outra turma, e dominando a técnica de realização do teste o analista terá condições de dar um suporte para o técnico no campo para melhorar a qualidade da semente”, definiu.

 

A oportunidade de participar de um curso com alta qualidade de instrutores fez com que a distância de Sapezal a Rondonópolis (715 km), não fosse obstáculo para Janete do Nascimento Silva, laboratorista da empresa associada Amaggi. “Nós aprendemos bastante sobre sementes de algodão nestes três dias e com certeza se tivéssemos mais dias ficaríamos para aprender ainda mais sobre o tema, pois isso fez com que crescêssemos em conhecimento e me sinto preparada para compartilhar com meus colegas de trabalho”, comentou.

 

O presidente da Aprosmat, Gutemberg Carvalho Silveira destaca que o papel da associação é de fornecer ao setor sementeiro, as ferramentas necessárias para a produção de sementes de qualidade. “Nós estamos qualificando os colaboradores destas empresas sementeiras, em relação a análise de semente de soja e algodão e mais especificamente em tretazólio em algodão e de soja, a Aprosmat está sempre preocupada com a semente vendida aqui no Mato Grosso”, concluiu.